top of page

O que é o estudo da teologia cristã?

Teologia é a atividade, pela qual os cristãos refletem e expressam o que tem experimentado e crido. É também o esforço para dizer como chegaram naquelas convicções e porque as fizeram.



Toda teologia é em sua essência cristológica em suas raízes e eclesial em sua expansão. Assim definimos o fundamento central do caráter e do coração da Teologia, bem como suas possibilidades de inserção na sociedade contemporânea.


Estou de acordo com Casalis, para quem a teologia poderia ser definida sempre como “esforço metodológico e vontade profética”, por isso é sempre tarefa comprometida e transformadora. Como toda e qualquer disciplina não é e não consegue ser neutra, nem precisa sê-lo. A única objetividade necessária à atividade teológica é o compromisso, este é o ponto que funciona como um código genético da tarefa teológica. Um esforço metodológico em dizer a Palavra de Deus em palavras contemporâneas. Dizer em categorias e imagens de cada época, lendo a fé em suas implicações, desde a prática compromissada.


Somos chamados neste século a enfrentarmos a sociedade globalizante e excludente com uma metodologia teológica significante que busque reler o evangelho e as tradições cristãs desde a prática histórica.


Os Pais da Igreja, nos primeiros séculos, diziam que a teologia possui duas perspectivas de visão, uma para frente e outra para trás, Theologia ante et retro oculata. Com o olhar para trás enxergava o passado de onde irrompeu historicamente a presença reveladora, salvadora e restauradora de Deus. Olha para os textos das Escrituras e para os grandes textos dos Concílios eclesiásticos. Olhando para frente a teologia percebe o presente, detectando os desafios da realidade socio-cultural, de onde deve articular a fé com fidelidade aos propósitos de Deus, expandindo caminhos de esperança.


Etimologia e definições

Curiosamente, o termo "teologia" não se encontra nas Sagradas Escrituras. Foram os gregos, e não os apóstolos, que cunharam o termo para designar o discurso que os poetas elaboravam com freqüência para os deuses. Por isso, não deve surpreender-nos que Orfeu e Homero eram chamados de "teólogos".


Toda palavra paga tributo à sua etimologia. É possível libertar-se dela, mas sempre permanecerá resquício e marca de sua origem. Os genes do pai e da mãe perseguem o filho, mesmo quando este grita sua independência.


O termo teologia compõe-se etimologicamente de dois termos, que lhe definem: Theos + logía = Deus + ciência. No centro está Deus, seu objeto principal. Qualquer reflexão teológica refere-se de alguma maneira a Deus. Ao determinar-se mais exatamente o estatuto teórico, ver-se-á como tal referência se produz.


Teologia tem a ver com "logia", com palavra, com saber, com ciência. Coloca-se Deus em discurso humano. Etimologicamente, significa um "discurso, um saber, uma palavra, uma ciência de, ou sobre Deus".


Teologia é: O discurso concernente a Deus; A ciência do sobrenatural; A ciência da religião; O estudo sobre Deus. Definições mais elaboradas são: A ciência de Deus segundo ele se revelou em sua Palavra (Ernest Kevan); A apresentação dos fatos da Escritura, em sua ordem e relação próprias (Charles Hodge); A interpretação metódica dos conteúdos da cristã (Paul Tillich); Dogmática é a ciência na qual a igreja, segundo o estado atual do seu conhecimento, expõe o conteúdo da sua mensagem, criticamente, isto é, avaliando-o por meio das Sagradas Escrituras e guiando-se por seus escritos confessionais (Karl Barth).


Estas definições representam diferentes enfoques do que é teologia, e contém elementos comuns e outros que são particulares de cada autor.


De certo modo, podemos dizer que, a partir do momento em que começamos a refletir e a falar acerca de Deus, estamos fazendo teologia. Portanto, é importante que encaremos a tarefa com a maior seriedade e precisão, pois se trata do estudo mais sublime a que alguém pode se dedicar.


Ainda que não duvidemos que Deus é a pessoa mais importante da teologia, não é menos certo que o ponto de partida da reflexão teológica muitas vezes é a existência histórica, concreta e às vezes trágica do ser humano que pensa.


Por fim, um breve comentário sobre a definição de Paul Tillich que define a teologia como "a interpretação metódica dos conteúdos da fé cristã". Se olharmos com atenção, veremos que a ênfase é colocada no método, que, no caso dele, é o da correlação.


Como define corretamente Daniel Migliore: Teologia não é uma simples repetição de doutrinas tradicionais, mas uma busca persistente da verdade que elas indicam, e que expressam somente de forma parcial e fragmentária. Como busca contínua, o espírito da teologia é interrogativo antes que doutrinário; ele pressupõe a disposição de questionar e ser questionado.


15 visualizações0 comentário
bottom of page